top of page
Buscar

Caminhando no Parque Ibirapuera com as Botânicas

Facilitadoras: Dra Andrea Nunes Vaz Pedroso e Dra Fernanda Tresmondi


Sábado, 09/11/19, das 09:00 às 13:00

Parque do Ibirapuera, Avenida IV Centenário, portão 6, Jardim Luzitânia - São Paulo/SP

Valor da inscrição: R$ 60,00


Nos seus momentos de lazer, passeando nas grandes áreas verdes, por acaso você repara nos detalhes da natureza que está ao seu redor? Tente responder as perguntas a seguir:

- Você percebe que está cercado por seres vivos?

- Você se considera um bom observador?

- Quais as coisas e/ou objetos você observa?


A grande maioria das pessoas consegue detectar e observar com grande admiração alguns seres vivos presentes nesse ambiente, dentre eles: alguns insetos, aves e mamíferos. Porém, raramente conseguem observar as plantas e toda a sua enorme variedade, não é mesmo? Por acaso, você consegue enxergar a diversidade de espécies de plantas que ficam ao longo do seu caminho? Ou você só se dá conta delas quando estão floridas?


Na literatura científica, temos um termo que designa esse fenômeno, a cegueira botânica, uma capacidade inerente ao ser humano em perceber esses seres. Wandersee e Schussler (2001) descrevem o termo e identificam como: (i) a incapacidade de reconhecer a importância das plantas na biosfera e no nosso cotidiano; (ii) a dificuldade em perceber os aspectos estéticos e biológicos exclusivos das plantas; (iii) achar que as plantas são seres inferiores aos animais, portanto, não merecedores de atenção.


Diante disto, você já pensou em caminhar em no Parque do Ibirapuera, uma das maiores regiões verdes aqui de São Paulo, com uma área de aproximadamente 1.584.000 m² com uma bióloga? E se essa bióloga também for botânica? Seria uma atividade muito enriquecedora, não é mesmo?


Propomos que essa atividade ocorra em uma manhã, neste belíssimo cenário, o Parque do Ibirapuera, para contemplarmos especialmente esses seres vivos, as plantas. Durante a “Caminhada com as botânicas” teremos atividades práticas (identificação da morfologia caulinar, foliar e floral) e momentos de discussão, onde apresentaremos um breve histórico do surgimento das plantas, com enfoque nos grande grupos vegetais, especialmente as Angiospermas. Portanto, ao final das atividades você conseguirá reconhecer as principais diferenças entre os diferentes grupos vegetais e principalmente entender a sua importância no ambiente em que vivemos.



Breve histórico das nossas facilitadoras:

Andrea Nunes Vaz Pedroso - Graduada em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário Fundação Santo André (2001), Mestre (2006), Doutora (2009) e Pós-doutorado (2011-2014) em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente pelo Instituto de Botânica de São Paulo, com período sanduíche na Università degli Studi di Firenze, Itália (2013). Lecionou no Centro Universitário São Camilo (São Paulo) e no Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de São Paulo, campus São Paulo. Idealizadora do projeto Biodiversidade em Fatias, que tem como principal objetivo a difusão do conhecimento científico para a população em geral (@bioidiversidadeemfatias e https://andreanvpedroso.wixsite.com/biodiversityinslices)


Fernanda Tresmondi - Graduada em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário Fundação Santo André (2005), Mestre (2010) em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente pelo Instituto de Botânica de São Paulo e Doutora (2015) em Botânica pela Universidade Estadual Paulista. Leciona na FATEC, disciplina “Responsabilidade Socioambiental” e na Prefeitura de São Bernardo do Campo, disciplina de Ciências para o Ensino de Jovens e Adultos. Já facilitei oficinas relacionadas à Botânica para mais de 500 pessoas em parceria com SESC, Escola de Botânica, Biodiversidade em Fatias e outras instituições públicas e particulares. Idealizadora do projeto Herbolárias - Ginecologia Natural (https://www.facebook.com/groups/598640516973720/).


16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page