top of page
Buscar

A cegueira botânica


Quando você está andando pelas ruas, distraído e sem nenhum compromisso, por acaso você observa folhas verdes e o tronco das árvores?



A grande maioria das pessoas não observa esses seres vivos. Porém, quando você olha para o alto da copa, encontra uma flor tão linda quanto essa da imagem, você para e observa, não? Este detalhe chama nos muito à atenção, não? Aí, nos damos conta de que esta árvore é um organismo vivo, devido à sua exuberante parte reprodutiva, a flor!



Esta árvore está em plena Avenida dos Bandeirantes, aqui na cidade de São Paulo. Para quem não conhece a cidade, esta rua possui um imenso tráfego automotivo e assim, consequentemente, muito trânsito.


Levanto aqui um questionamento, será que quando você está no trânsito intenso dentro do carro ou do ônibus, você olha ao redor? Ou só fica olhando fixamente para a tela do celular?


Faço um convite para você! Olhe e observe por alguns instantes ao seu redor. Garanto que você fará belíssimas descobertas!


Agora, vamos identificar esta árvore linda?


Esta espécie vegetal denomina-se Pachira aquatica Aubl. pertende à família das #Malvaceae ordem das #Malvales grande grupo das #Angiospermae group. Espécie nativa do sul do México até o norte da América do Sul. Apresenta potencial ornamental, especialmente para a arborização urbana. Conhecida popularmente como #munguba #mamorama #castanhola #castanhadomaranhão #paineiradecuba #mamorana #Guianachestnut #moneytree

Vamos agora para um pouquinho de morfologia floral?


Tente olhar a imagem com a descrição da flor. Nesta imagem temos duas letras, p e e que irá auxiliar a sua leitura.




De acordo com Peixoto & Escudeiro - "As flores chamam a atenção pelo tamanho, coloração e perfume, dispondo-se preferentemente na parte terminal dos ramos; os botões fechados são espatáceos e podem alcançar 28 cm de comprimento; as flores em antese podem alcançar 23 cm de diâmetro; as pétalas (p), estreitas e compridas (cerca de 1,3 x 25cm), são de coloração castanho-amareladas e os longos e muitos estames (e) são brancos na parte basal e róseo-avermelhados em direção ao ápice, com anteras avermelhadas a vináceas. "


Fonte:

- Du Bocage AL & Sales MF. 2002. A família Bombacaceae Kunth no Estado de Pernambuco, Brasil. Acta Bot. Bras. vol.16 no.2 São Paulo Apr. 2002

- Peixoto & Escudeiro 2002. Pachira aquatica (Bombacaceae) na obra “História dos Animais e Árvores do Maranhão” de Frei Cristóvão de Lisboa. Rodriguésia 53 (82): 123-130.


Divulgue e espalhe o conhecimento 🌱

162 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page