top of page
Buscar

O dia-a-dia de um anatomista vegetal

A anatomia vegetal é imprescindível para melhor compreensão das espécies vegetais.


Analisando as estruturas internas é possível delimitar espécies, gêneros e famílias botânicas. Para isso, inúmeras técnicas foram desenvolvidas para que o pesquisador realize esse trabalho. Desde, a simples obtenção dos cortes anatômicos à mão livre, apenas com o auxílio da lâmina de barbear como a mais sofisticada com a utilização de historesina para inclusão do espécime.


Neste post, por meio de imagens irei demonstrar a inclusão em polietilenoglicol 2000, além da coleta, secção do material e obtenção das lâminas para serem observadas em microscópio de luz.


Essa técnica é relativamente simples, porém como qualquer técnica anatômica vegetal demanda tempo. O anatomista sabe que irá demorar pelo menos duas semanas desde o dia da coleta até a observação das secções. Por isso, muitas pessoas desistem desta área. Os procedimentos são delicados e demorados. Mas a satisfação final quando observamos o produto final é indescritível.


Indico essas duas referências bibliográficas que são os livros de cabeceira do anatomista:

1) Johnsen, D.A. 1940. Plant microtechnique. MacGrawHill Book Company, New York

2) Kraus, J.E. & Arduin, M. 1997. Manual básico de métodos em morfologia vegetal. Editora da Universidade Rural, Rio de Janeiro.


Todas as imagens foram realizadas no Núcleo de Pesquisa em Anatomia, do Instituto de Botânica de São Paulo, durante o período do meu mestrado (2004-2006). Podem usar as fotos, porém citem a fonte, por favor.


Boa leitura, bom trabalho e qualquer dúvida me escrevam.


Você que gosta e se preocupa com o meio ambiente, venha conhecer o @biodiversidadeemfatias (no Instagram e Facebook) e o nosso trabalho. Divulgue e espalhe o conhecimento.




Logo em seguida, as amostras são colocadas no fixador em eppendorffs

Amostras no eppendorff


Os eppendorffs são colocados na bomba à vácuo, para que o fixador. As amostras ficam por 48 horas no fixador e após são armazenadas em álcool 70%.


Inclusão das amostras em polietilnoglicol 2000 (PEG-2000). As amostras são preparadas e colocadas em solução de PEG-2000 à 20% e colocadas em estufa à 60 ºC


Blocos de PEG-2000 com amostra são confeccionados e armazenados em geladeira

Bloco com amostra é colocado no micrótomo para que as secções sejam obtidas

Forma-se uma fita de PEG2000 com as amostras seccionadas

As secções são colocadas em lâminas de vidro com adesivo de Haupt e os cortes são distendidos em placa aquecedora à 60 ºC

Para retirar o PEG-2000, pinga-se água destilada na lâmina

As secções são coradas com azul de astra 1% e safranina 1%, ambos acquosos

As amostras são desidratadas e para isso são submetidas à série etílica, álcool 100%: acetato e acetato

As amostras são montadas em resina sintética

As lâminas são observadas em microscópio óptico











73 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page